Não poderíamos começar o mês de melhor maneira! Com ensaio fotográfico e entrevista exclusivos, Zendaya está na capa da edição de novembro da revista Glamour, que celebra o poder feminino.

Todo o processo da edição foi feito por mulheres. A atriz Yara Shahidi, da série Black-ish, – que inclusive, Zendaya já fez uma participação especial em um dos episódios – foi a responsável por entrevistar a musa de “Homem-Aranha: De Volta ao Lar“.

Zendaya estampa a capa da revista americana, britânica, holandesa, islandesa, romena e sul-africana. Confira todo o conteúdo abaixo.

INICIO > SCANS > 2017 > NOVEMBRO @ GLAMOUR

Zendaya~2.jpg   

INICIO > ENSAIOS FOTOGRÁFICOS | PHOTOSHOOTS > 2017 > EMMA SUMMERTON (GLAMOUR)

Zendaya_28329~5.jpg Zendaya_28529~5.jpg Zendaya_28229~5.jpg Zendaya_28429~5.jpg

EM BREVE LEGENDADO

ENTREVISTA: Glamour
TRADUÇÃO: Zendaya Brasil

YARA SHAHIDI: Vamos levá-la de volta ao passado. Como você acabou se mudando de Oakland para Los Angeles como uma estudante para poder atuar?

ZENDAYA: Eu basicamente gostava de falar, “Eu quero fazer isso”, e meu pai desistiu do emprego como profesoor para que isso acontecesse. Minha mãe ficou em Oakland porque ela tinha dois trabalhos: ensinar e trabalhar no Teatro Califórnia Shakespeare à noite. Esses dois empregos pagaram por todas as nossas viagens de carro durante o ano em que eu estava fazendo uma audição. Por sorte, eu tinha pais que eram tipo, “Você sabe o que? Nós acreditamos em você.”. Eu obtive meu primeiro emprego no Disney Channel quando eu tinha 13 anos, e era só eu e meu pai em um apartamento no centro de L.A. Foi muito difícil porque estava lidando com momentos decisivos de menina. Lembro-me de ter meu período e ele não soube o que fazer. Foi uma fase de transição estranha.

YARA: Eu sinto que todo mundo na nossa indústria passa por esse momento de transição. Quando Black-ish começou, eu tentei fazer a primeira temporada enquanto eu ia ao ensino médio em tempo integral.

ZENDAYA: Tão difícil

YARA: Sim, mas minha mãe conseguiu seu mestrado em educação. Eu penso que vir de um fundo em que a educação é tão valorizade me proporcinou um senso de fundamentação. Nesta indústria, há sempre oportunidades para alguém dizer que a educação é periférica. Houve momentos em que um advogado disse: “Tudo o que é necessário é que você tenha quatro paredes e um ser humano”. E foi tipo, “Aguarde, mas eu realmente quero me destacar na escola”

ZENDAYA: Veja, esse é sempre o assunto. Lembro-me de algumas crianças que sabia que trilhariam seu caminho através de um programa escolar online. Eles iriam apenas procurar as respostas e digitá-las. Isso é insano pra mim. É engraçado que você fale sobre advogados, porque minha mãe teve que escrever cartas aos advogados da Disney para dizer: “Ouça, minha filha precisa desse professor”, porque finalmente encontrei alguém que trabalharia comigo quando se eu tivesse turnês de imprensa. No carro. No avião. No trem. No quarto do hotel. Ela ficava tipo, “Você está cansada? Eu não me importo”. Lembro-me de fazer Dancing With the Stars e, literalmente, eu dormia lendo um livro. Eu nunca estive tão cansada na mnha vida – não há tempo off. Mas ela ficou comigo e me certificou de ter obtido o que eu precisava.

YARA: Você mencionou como sua mãe teve que se mover entre dois trabalhos para ajudá-lo a alcançar seus sonhos. O que esta questão de energia por mulher [produzida por contribuintes femininos] significa para você?

ZENDAYA: O que eu mais aprendi com minha mãe é o altruísmo. Ela ensinou em comunidades desfavorecidas por 20 anos, e ela trabalhou para fazer com que seus alunos tivessem experiências como campo de ciência ao ar livre. Há estudantes que vão te dizer: “Sem a Sra. Stoermer, não sei onde eu estaria”.

YARA: Nossa geração tem muita coisa acontecendo agora: a partir de Coreia do Norte para Charlottesville-

ZENDAYA: É insano.

YARA: É um pouco insano.

ZENDAYA: Aqui está a coisa – eu posso dizer verdadeiramente que eu não sou a mesma pessoa que eu era há um ano atrás. À medida que minhas plataformas sociais cresciam, percebi que minha voz era muito mais importante do que eu pensava. Penso que se todos os jovens compreendessem o poder de sua vvoz, as coisas seriam muito diferentes. E está se tornando mais popular para ser franco.

“Se as pessoas conhecem seu nome, eles
deveriam que é por uma razão.”

YARA: Eu sei. Já não se sente como uma opção para estar ou não na ativa. Não podemos ignorar o que está acontecendo. Também nos obrigou a seguir algo um pouco mais esperançoso. Você eu tivemos a chancw de conhecer algumas pessoas legais. Como representante Maxine Waters-

ZENDAYA: “Recuperando meu tempo. Rectificando meu tempo. ”

YARA: Ela diz que [durante uma audiência no Congresso quando sentiu que a Secretária do Tesouro Steven Mnuchin estava esquivando perguntas] era minha coisa favorita. O que outras mulheres te inspiram?

ZENDAYA: Definitivamente há uma longa lista. Agora estou inspirada por pessoas que usam suas plataformas: Se as pessoas conhecem seu nome, elas deveriam saber por algum motivo. Estou obviamente inspirada pela minha mãe e tenho uma obsessão com a Oprah. Ela é alguém que, mesmo com tudo contra ela, ela elevou-se a alturas inacreditáveis. Se ela quiser criar uma rede, ela pode. Ela quer produzir um filme? Ela pode. Mas também há esse nível de realidade para ela. Você sente que ela é sua tia.

YARA: Você se descreveu como uma filha amorosa da Oprah, Shonda Rhimes e Beyoncé. Vamos para Shonda…

ZENDAYA: Quer dizer, Shonda- ela viu algo que mais ninguém estava fazendo e disse: “Eu vou criar sozinha. Eu vou colocar mulheres fortes e poderosas de cor em papéis principais e criar narrativas para diferentes tipos de pessoas.” E ela conseguiu um dia. Ela está nas quintas-feiras.

YARA: É dela. Nem vem.

ZENDAYA: E então, Beyoncé. Ela levou o próximo nível com o Lemonade. Ela tem gêmeos, e ela está arrasando. E, claro, Michelle Obama, porque essa é uma mulher inteligente.

YARA: Ela é a 46º presidente que reconheço.

ZENDAYA: Ela é minha presidente. Quem vai convencê-la a correr?

YARA: É realmente poderoso ver uma mulher de cor [em uma posição tão proeminente]. Mesmo sem uma mensagem política, ver-nos na tela é tão importante. O que você fez com K.C. Em segredo, o fato de você ter vindo de uma posição de poder era enorme para mim. Agora estou em um lugar onde eu estou falando com criativos e dizendo: “Ei, isso é o que precisa acontecer com esse show, com esse personagem.” Não para meu próprio ego, mas porque há muitas pessoas assistindo, e temos uma oportunidade. O que lhe deu essa confiança?

ZENDAYA: Eu não sentia como se houvesse outra escolha. Eu estava tipo, “Se eu for fazer isso, é assim que deve ser”. Precisa haver uma família negra no Disney Channel. Muitas pessoas que não são pessoas de cor não conseguem entender o que é crescer e não se ver na mídia convencional. E você sabe, há muito trabalho a ser feito. Eu já falei sobre isso antes, mas posso dizer honestamente que estaria na posição em que eu estava se eu não fosse uma mulher negra de pele mais clara? Não.

YARA: Uma coisa que eu constantemente digo é que meu objetivo não é ser o rosto de meninas negras. O objetivo é abrir a porta tão amplamente que eu estou me afogando em um mar de…

ZENDAYA: Num mar de meninas negras. Absolutamente.

YARA: Eu não deveria ser a versão “acessível” de uma garota negra. Isso não permite que as pessoas apreciem plenamente sua herança. Eu sou meio preto, meio iraniano, e nunca vi uma descrição meio negrinha e iraniana de um personagem em um script de sempre. Há mais a fazer.

ZENDAYA: Boom! Vamos abrir essas portas.

YARA: Queria te perguntar sobre sua linha de roupas, Daya by Zendaya. Adoro que não só você é empreendedora, criou uma marca que não diz: “Isto é para uma menina; isso é para um menino”.

ZENDAYA: Esse é o futuro da moda, certo? Tive a sorte de ter pais que me deixaram vestir o que queria usar e me deixar comprar onde queria fazer compras. 9 de 10 vezes, eu estava fazendo compras na seção meninos. Eu usava shorts de carga e hoodies. Esse era o meu uniforme. E é diferente ser uma menina. Nós podemos usar roupas de caras, mas o segundo, um cara usa roupas de garotas, é como-

YARA: O que ele está fazendo?

ZENDAYA: Isso não é justo. Eu acho, para mim, é tudo sobre a experiência de um comprador. Por exemplo, minha irmã é uma mulher mais espessa. Ela apenas teve um bebê; ela tem quadris. Por que deveria ter que ir a uma seção diferente para comprar roupas?

YARA: É interessante saber como ser uma afirmação, “Tudo está disponível para você, todos vocês.” Isso influenciou a forma como você se aproxima da moda do tapete vermelho?

ZENDAYA: Eu acho que é o mesmo. Uma grande parte da minha confiança é por causa da moda. O que eu amo de alguém como Rihanna é ela ser destemida. É quase uma sensação de, perdoe meu idioma, eu não me importo. Quando ela usa um vestido, é para si mesma, e você pode ver isso. Há algo a dizer pelo fato de que, literalmente, todos podem odiar minha roupa, mas se me sinto bem, sou o único que deve importar.

ZENDAYA: Há muito o que quero fazer no mundo do filme. Ter um passado da Disney às vezes torna difícil para as pessoas levá-lo a sério, então eu tenho que escolher os projetos certos, certifique-se de fazer as coisas certas, pegue meu tempo. E então eu quero produzir e criar shows e filmes, seja ou não que eu participe deles. Você sabe quando assiste a um show e você gosta de “Isso é tão bom. Gostaria de ter conseguido?” Por que não? Por que não posso fazer? Ideia selvagem eu sei.

WEBSTATUS

NOME: Zendaya Brasil
URL: zendaya.com.br
EQUIPE: João Almeida, Vinícius Falcão, Gabriel Roche, Maria Cristina,
NO AR DESDE: 16/03/2015
CONTATO: zendayabra@gmail.com

VÍDEO EM DESTAQUE


ZBR NO TWITTER



DISCLAIMER

O Zendaya Brasil é um fã site com intuito de trazer informalções aos fãs brasileiros sobre a atriz e cantora Zendaya. NÃO temos nenhum tipo de contato com a cantora, sua família, amigos e etc.