13.08.2018
Zendaya vence 3 categorias no Teen Choice Awards 2018
Postado por João Victor

Na noite de ontem (12) aconteceu a premiação Teen Choice Awards 2018 em Los Angeles, Califórnia. Mesmo não comparecendo ao evento, por motivos de gravação do filme Homem-Aranha: Longe de Casa em Londres, Zendaya venceu 3 categorias das 5 que estava concorrendo.

Conseguindo seu primeiro prêmio no meio da música, “Rewrite the Stars” venceu na categoria Melhor Colaboração e a Zendaya e Zac Efron também venceram na categoria Ship de Filme Favorito pelo seus papéis em O Rei do Show, que também levou o prêmio de Filme de Drama Favorito na premiação e o mais importante, a atriz acabou vencendo a categoria Melhor Atriz em Filme de Drama pelo seu papel como Anne Wheeler no filme.

Zac Efron subiu ao palco para recebeu seu prêmio e no discurso agradeceu Zendaya e não poupou elogios; confira:


De acordo com dados divulgados pelo site SEMrush, empresa de marketing digital, Zendaya está entre as 10 cantoras pop internacionais mais procuradas por brasileiros nos últimos 6 meses na internet.

Mesmo sem lançar material próprio desde 2016, quando estreou a faixa Something New – em parceria com Chris BrownZendaya ocupa a 10ª posição no ranking, com 60 mil buscas em seu nome, baseada em ferramentas de pesquisa como Google e Bing.

A lista é liderada pela cantora Selena Gomez. Outros nomes conhecidos são: Demi Lovato, Miley Cyrus, Britney Spears e Christina Aguilera.

Confira a lista completa abaixo:

1º Selena Gomez – 857 mil
2º Demi Lovato – 625 mil
3º Miley Cyrus – 417 mil
4º Britney Spears – 286 mil
5º Bella Thorne – 108 mil
6º Christina Aguilera – 106 mil
7º Vanessa Hudgens – 95 mil
8º Dove Cameron – 74 mil
9º Sabrina Carpenter – 66 mil
10º Zendaya – 60 mil


Agosto chegou com tudo! Após anunciar sua nova série na HBO, Euphoria, na última semana, hoje (6) ficamos sabendo que Zendaya vai estampar a capa da edição de setembro da revista Marie Claire, com direito a um ensaio fotográfico exclusivo e tudo para a revista.

Sob os cliques do fotógrafo Thomas Whiteside, Zendaya posou deslumbrante num ensaio repleto de glamour. Além disso, também concedeu uma entrevista para a revista. A estrela falou sobre sua carreira de atriz, A White Lie, seu papel em “Homem-Aranha: De Volta ao Lar” e muito mais num bate-papo bem descontraído com a apresentadora Janet Mock.

Sem mais delongas, abaixo você confere a entrevista completa traduzida por nossa equipe e as fotos do ensaio na nossa galeria

INICIO > SCANS > 2018 > SETEMBRO @ MARIE CLAIRE US

   

INICIO > ENSAIOS FOTOGRÁFICOS | PHOTOSHOOTS > 2018 > THOMAS WITESIDE (MARIE CLAIRE US)

55877b938698554.jpg a6284d938698264.jpg  

Janet Mock: Esta é a vida que você imaginou para si mesma?
Zendaya: É. Eu sou muito sortuda. Eu sabia, mesmo quando pequena, que isso era o que eu queria fazer e o que eu queria ser. Eu definitivamente não cosneguia me ver fazendo outra coisa. A única carreira no qual eu pude ver minha vida era de professora porque meus pais são professores. Então, se eu não fosse atriz, provavelmente teria sido professora em Oakland.

JM: Eu sinto que você faz isso, através das suas plataformas sociais e aparições na mídia.
Z: Estou ciente de que não sei tudo, mas faço o meu melhor com a plataforma que tenho, sabendo quantas pessoas me procuram. Eu tenho o meu melhor para me informar e viver minha melhor vida para que eu possa inspirar meus fãs a viverem suas melhores vidas, serem mais intruídos e aprenderem por si mesmos. E eu tento fazer isso de uma maneira que não está dizendo as pessas o que deve pensar, mas sim abrindo os olhos para as possibilidades, ideias que talvez nunca tenham pensado. Eu tento encarar isso como um responsabilidade mais do que qualquer outra coisa.

JM: Quando eu dei meu primeiro passo na minha carreira em 2011 foi nesta revista, eu senti uma imensa pressão para ser algo para alguém. Esse fardo da representação é real. Sinto a pressão de aparecer, falar e usar meu acesso para levar minhas irmãs e irmãos comigo. Como você passa sobre isso? Para que lugares você vai para cuidar de si mesma enquanto luta não apenas com sua própria carreira, mas também com a responsabilidade social?
Z: Alcançar e ouvir as perspectivas de outras pessoas sempre me ajuda. As pessoas que eu geralmente chamo são minha mãe e minha irmã mais velha. Eu sou uma pessoa muito orientada pela família. Minha zona mais calma é, honestamente, apenas estar com minha família. E eu sei que isso soa super brega. Eu tenho muitos sobrinhos. Eu me tornei essa pessoa mais velha para eles, o que é super estranho. Eles estão em sua adolescência, e eles não necessariamente pensam que eu sou legal o tempo todo. Mas eles estão vendo tudo que eu faço. Esse relacionamento direto tem um impacto enorme em minha vida também, tentando ensinar coisas, mante-ls conscientes. Eu envio artigos e se eles não lerem tudo bem, mas eu tento. Um dia talvez eles apreciem isso. Eu só estou tentando ser uma tia legal.

“Tendo sido consistentemente em um programa de televisão, eu me senti estagnada. Não tenho mais isso, estou sendo vista como uma atriz de verdade, fazendo o que me faz sentir pressionada e motivada.”

JM: Quais são suas maiores prioridades em sua carreira?
Z: Neste momento, atuar tem sido uma ótima ideia. Definitivamente tem sido um processo, especialmente porque estou vindo deste mundo muito diferente da Disney. Tendo sido consistentemente em um programa de televisão, eu me sinti estagnada. Não tenho mais isso, estou sendo vista como uma atriz de verdade, fazendo o que me faz sentir pressionada e motivada. Eu não necessariamente acho que conforto é sempre o melhor lugar. Eu estou empolgada quando decido quais projetos eu quero fazer ou produzir. Eu realmente encontrei o poder em apenas fazer o que me faz feliz.

“Muitas pessoas não conseguiram a audição que eu queria e muitas vezes saíam para as partes que não foram escritas para uma garota que se parece comigo e apenas dizendo: ‘Ei, me veja assim mesmo’, até que a coisa certa esteja certa.”

JM: Parece que há algum tipo de estigma para um jovem ator da Disney Channel. Eu não sei porque isso me impressionou, mas existem apenas duas garotas negras que saíram da máquina da Disney? É só você e a Raven-Symoné?
Z: Eu também acredito na Chine Anne McClain, ela é incrível e super telentosa. Há sempre alguns de nós, mas não muitos.

JM: A quem você olhou quando descobriu maneiras de sair do atriz da Disney e ser levado a sério como atriz?
Z: O que é engraçado é que eu não tinha ninguém para quem olhar nesse sentido. Eu chamo de intestino de Olivia Pope [da série americana Scandall]. Eu só tinha que estar em sintonia com isso e ser tipo, “Ouça, se parece certo, vá atrás disso.” Haverá um monte de opiniões diferentes e um monte de pessoas te dizendo o que você deve fazer e o que você não deve fazer, mas eu tinha que encontrar o que a Zendaya queria e ir direto para isso. Há algo de libertador em tomar decisões por si mesma. Uma grande parte disso foi para tomar meu tempo. Eu queria criar quem eu era como uma pessoa fora do mundo da Disney. Moda me ajudou com isso. Meu estilista, Law Roach, e eu criamos um mundo e isso me me tornou conhecida, através das roupas. Escolher os projetos certos ajudou também. Muitas pessoas não conseguiram a audição que eu queria e muitas vezes saíam para as partes que não foram escritas para uma garota que se parece comigo e apenas dizendo: ‘Ei, me veja assim mesmo’, até que a coisa certa esteja certa. Sempre que fui persuadida ou tantando agradar outra pessoa ou porque há pressão das pessoas em geral para tomar uma decisão, isso sempre me surpreende. Então eu estive nessa zona de fazer a merda que eu qusier porque eu quero fazer isso e porque parece o que está certo o tempo todo.

JM: O que te leva? Como é o sucesso para você? Você já é bem sucedida, mas como você definiria onde você quer estar? E o que está te empurrando para chegar lá?
Z: Eu quero longevidade na minha carreira, e tento sempre pensar em como criar isso. Mas também gosto de viver o momento e fazer o que parece certo, agora mesmo. Eu acho que sou abastecida por, oh, uau, aqui está um momento brega novamente. Eu sou abastecida por diferentes pessoas e que sou capaz de afetar positivamente. Quando as pessoas chegam até você e, em vez de dizer: “Eu amei o último projeto que você fez”, elas disseram “Eu agradeço que você tenha dito isso”, isso me faz me sentir bem. Quando sou capaz de fazer grandes coisas na minha carreira e, felizmente, ser fincanceiramente abençoada, e depois de lançar e ver o dinheiro realmente fazer algo bom, esse é o propósito. Essa é a razão pela qual você faz as coisas. Apoiar os alunos em Oakland é importante pra mim. Roses in Concrete Community School estão realmente tentando mudar a forma como ensinamos nossos jovens em comunidades carentes. Toda criança, independentemente de onde venha, merece ter acesso a uma grande educação. Para mim, posso fazer o que eu amo, e isso tornou um fórum para fazer coisas muito maiores. Às vezes, você constrói sua plataforma para se afastar para que as outras pessoas possam fazer, e isso é honestamente o que me motiva.

“O que meus colegas brancos seriam capazes de fazer neste momento em suas carreiras não é algo que eu possa fazer. Eu não quero arriscar isso a qualquer momento, porque eu não tenho permissão para que estrague tudo.”

JM: Como você processa os desafios e as dificuldades que você enfrenta em sua carreira e na vida?
Z: A única coisa com que eu luto é que às vezes tenho tanto medo de cometer um erro. Tipo, quero ser perfeita, quero tomar todas as decisões certas e, quando isso não acontece, isso me estressa. Mas eu não posso me permitir ter medo de não fazer sempre a coisa certa. Eu cometerei erros em minha carreira, mas posso dar o melhor de mim para tomar as melhores decisões possíveis e aprender com meus erros. Tipo, “estou prestes a arrasar neste próximo round porque agora eu sei mais”

JM: Mas eu também gostaria que as meninas negras pudessem passar nesses espaços públicos, cometer erros e ter chances.
Z: Isso é 100% verdade. O que meus colegas brancos seriam capazes de fazer neste momento em suas carreiras não é algo que eu possa fazer. E eu sabia disso desde quando era bem jovem. Isso é apenas a verdade, e você terá medo de cometer erros, porque eu amo o que faço. Eu não quero arriscar isso a qualquer momento, porque eu não tenho permissão para que estrague tudo.

JM: Eu penso nos atores de sua geração, os atores negros, especificamente, que são frequentemente pareados de maneira interessantes: você, Amandla Stenberg e Yara Shahidi. Todas vocês três estão neste espaço rarefeito de nevegar nesta indústria selvagem como garotas negras.
Z: Eu conheço a Yara um pouco mais que a Amandla. Eu sou um pouco mais velha que a Yara, então é legal falar com ela e saber onde ela está querendo chegar e descobrir. O que é importante para mim é saber que não somos as únicas garotas negras da indústria. Nós meio que fomos pintadas como o rosto, e isso não é verdade. É importante ter uma conversa em que estamos abrindo as portas para nossos colegas e mais mulheres negras que não necessariamente se parecem conosco.

JM: Eu adorei o que você disse na BeautyCon, essa ideia de ser a versão aceitável de Hollywood de uma garota negra e sua ligação para ampliar o escopo. Vocês três são as que mais falam sobre essas questões, e todas vocês são bem sucedidas em suas diferentes esferas, mas não é coincidência que todas vocês sejam ouvidas por causa dos privilégios que vocês tem como garotas mistas. Quando você fez isso, senti que havia esse tipo de mudança reveladora porque você reconheceu essa lacuna em um espaço público
Z: É uma daqueles coisas que é tão importante reconhecer e começar esse diálogo. Eu sinto que é como um tópico tão tabu, então não queremos falar sobre isso, mas vamos falar sobre isso.

“Eu sempre digo ao meu gerente teatral: ‘Sempre que eles disserem que estão procurando garotas brancas e me mandar embora. Deixe-me entrar na sala. Talvez elas mudem de ideia'”.

JM: E por que você acha que é tão tabu?
Z: As pessoas simplesmente não querem ver ou querem apenas fingir que não existe. Eu não sei exatamente qual é a resposta para essa pergunta, mas acho que as pessoas só querem evitar. Quero dizer, está bem na nossa cara. Nós podemos falar sobre isso. Tipo, muitas pessoas responsáveis que estão fazendo as coisas acontecerem na indústria nem vêem, e essa é a parte mais estranha.

JM: Você falou um pouco antes osbre sair para papéis que talvez não tenham sido escritos para uma garota negra.
Z: A maioria das coisas para quais eu vou. Por exemplo, o Homem-Aranha definitivamente não foi originalmente escrito dessa maneira.

JM: E como você pressionou por isso?
Z: No começo eu pensei que teria que fazer porque você está acostumado com a noção de que, OK, mesmo que o personagem seja fictício e possa ser qualquer um, eles provavelmente irão seguir o padrão do que eles querem e o que eles sempre tiveram. Eu definitivamente entrei assim: “Espero que eles” – como eles chamam na indústria – “seja étnico”. Eu me lembro de tomar a decisão de arrumar meu cabelo. Eu não sabia que eles teriam um elenco diverso. Eu não sabia que estava entrando em uma situação em que eles já estavam quebrando as regras. Você fica tão acostumado a ter que quebrar as regras para as pessoas.

JM: Você mencionou anteriormente que havia papéis que você queria, mas não conseguiu.
Z: Eu sou uma atriz. Todos nós ja experimentamos o não, e tudo bem. Eu sempre digo: “Se você não for escalado, não foi seu para começar”. Mas tem tido algumas coisas. Eu sempre digo ao meu gerente teatral: ‘Sempre que eles disserem que estão procurando garotas brancas e me mandar embora. Deixe-me entrar na sala. Talvez elas mudem de ideia’

JM: Esse processo deve ter estado por trás da sua decisão de criar um projeto para si mesmo com A White Lie, sobre Anita Hemmings, a primeira mulher negra a se formar no Vassar College. Você está estrelando e produzindo com a Reese Witherspoon. Onde está esse projeto e como isso aconteceu?
Z: Nós literalmente acabamos de pegar o roteiro! A primeira coisa que chamou minha atenção sobre o projeto foi que a Reese estava produzindo. Ela está fazendo um ótimo trabalho como chefe e criando esáços e contando histórias e fazendo o que ela quer fazer. Ela é muito dopada e eu aprendi muito estando na sala com ela e sua equipe, que são todas mulheres. Foi uma master class. Um dia, posso querer ter minha própria produtora e criar o material em que quero estar. Às vezes, precisamos criar nossa própria rota e nossas próprias oportunidades quando elas não são entregue a nós.

JM: Quando você não está se concentrando em mudar a indústria, como é um dia de folga para você?
Z: Um dia de folga é fazer absolutamente nada. Eu não quer sair de casa. Eu fico apenas deitada. Estou relaxando. Eu tenho uma piscina. Todo mundo pode vir, mas eu não vou a lugar nenhum.


Na tarde desta quarta-feira (1), a Sony Pictures divulgou em primeira mão o título nacional e logo oficial da sequência do filme Homem-Aranha: De Volta ao Lar. Como muitos já esperavam, no Brasil, o filme carregará o nome de Homem-Aranha: Longe de Casa.

Confira o logo oficial do filme clicando na miniatura abaixo:

Homem-Aranha: Longe de Casa tem estreia prevista para chegar aos cinemas no dia 4 de julho de 2019.


Zendaya não está para brincadeira e mais do que nunca, focada em sua carreira de atriz. Já com 5 projetos em vista (Homem-Aranha: Longe de Casa, A White Lie, Finest Kind, Pé Pequeno e a série Euphoria), a atriz acaba de incluir mais um filme em seu currículo. A informação é do Deadline.

Segundo o site, Zendaya vai estrelar a adaptação do livro A Thousand Miles for Freedom (também conhecido como The Escape of William and Ellen Craft from Slavery), escrito por William e Ellen Craft na década de 1860.

O livro conta a história do casal de escravos (William e Ellen Craft), que fizeram uma das mais notáveis e marcantes fugas da história da escravidão na América em 1848. Ellen, uma mulher de pele clara, se passa por um homem branco agricultor, enquanto William posa como seu criado. Eles viajam de trem e navio com uma certa luxuosidade – da escravidão em Macon, Georgia, para a liberdade, primeiro na Filadélfia, depois em Boston e finalmente na Inglaterra.

E aí?! Ansiosos? Fiquem ligados no Zendaya Brasil para novas informações.


Nesta segunda-feira (30), através de sua redes sociais, Zendaya nos surpreendeu ao divulgar o primeiro teaser oficial – que traz uma vibe bastante obscura – de sua nova série da HBO, Euphoria; confira:

INICIO > FILMES & SÉRIES | MOVIES & SERIES > SÉRIES > EUPHORIA (2018-) > CAPTURAS > TEASER #1

   

 

Euphoria. Coming soon. ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀ ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀ @hbo @a24 @champagnepapi

Uma publicação compartilhada por Zendaya (@zendaya) em

Euphoria é baseada numa série israelense de 2012 de mesmo nome e contará a história de um grupo de estudantes do ensino médio que navegará entre drogas, sexo, identidade, traumas, redes sociais, amor e amizade.

Zendaya toma a frente como Rue, protagonista da série, uma garota de 17 anos viciada em drogas. Storm Reid, Jacob Elordi, Maude Apatow, Brian “Astro” Bradley, Angus McLoud, Eric Dane, Alexa Demie, Barbie Ferreira, Nika King, Hunter Schafer e Sydney Sweeney também farão parte do elenco.

Euphoria foi encomendada pela HBO para uma temporada completa, com 10 episódios, todos com roteiro adaptado por Sam Levinson (O Mago das Mentiras). Foi divulgado também que o cantor e rapper canadense Drake ficará responsável pela produção executiva da série, juntamente com seu empresário, Future the Prince.

Até o momento, Euphoria não possui data de estreia.


Página 1 de 9712345...102030...Last »

WEBSTATUS

NOME: Zendaya Brasil
URL: zendaya.com.br
EQUIPE: João Almeida, Vinícius Falcão, Gabriel Roche, Maria Cristina,
NO AR DESDE: 16/03/2015
CONTATO: zendayabra@gmail.com

VÍDEO EM DESTAQUE


ZBR NO TWITTER



DISCLAIMER

O Zendaya Brasil é um fã site com intuito de trazer informalções aos fãs brasileiros sobre a atriz e cantora Zendaya. NÃO temos nenhum tipo de contato com a cantora, sua família, amigos e etc.