Seja bem-vindo ao Zendaya Brasil maior e melhor fonte brasileira sobre a Zendaya. Aqui você encontrará informações sobre sua carreira, projetos, campanhas e muito mais, além de entrevistas traduzidas e uma galeria repleta de fotos. Navegue no menu acima e divirta-se com todo o nosso conteúdo. Somos um fã site não-oficial e sem fins lucrativos e não possui qualquer ligação com Zendaya, sua família ou seus representantes. Todo o conteúdo aqui apresentado, tais como notícias, traduções e gráficos, pertence ao site a não ser que seja informado o contrário.
18.11

Nesta manhã (18) foi divulgado não só uma, mas 4 capas da edição especial de 50 anos da revista americana Essence, onde a Zendaya está estampando. Com uma homenagem a Donyale Luna, considerada por muitos como a primeira supermodelo negra, a atriz concedeu incríveis fotos com inspiração as modelos negras dos anos 70 e 80 tirada pelas lentes dos fotógrafos AB+DM, responsável pela capa da InStyle de setembro com a Z.

Zendaya também concedeu uma entrevista exclusiva para a revista, onde ela falou sobre: Sua vitória e seu discurso ao ganhar “Melhor Atriz em Série de Drama” no Emmy deste ano, sobre a comunidade negra e como isso a inspira todos os dias, e também sobre Malcolm & Marie, filme que ela gravou durante a pandemia do COVID, falou também sobre Euphoria, sua segunda temporada e do especial que irá ao ar em dezembro, além de ter falado que o remix de “Savage“, parceria da Megan Thee Stallion e Beyoncé foi a melhor coisa que aconteceu pra ela durante esses tempos. Ela fez um vídeo onde falou sobre como Law Roach, seu estilista, à apresentou ao mundo da moda e também representatividade negra e como isso a inspira; confira tudo completo:

HOME > SCANS > 2020 > NOVEMBER/DECEMBER – ESSENCE

001.jpg 002.jpg 003.jpg 004.jpg 001.jpg 002.jpg

HOME > PHOTOSHOOTS > 2020 > AB+DM (ESSENCE)

002.jpg 001.jpg 004.jpg 005.jpg 008.jpg 003.jpg

Em primeiro lugar, parabéns pela sua histórica vitória no Emmy. O que se passava em sua mente antes de chamarem seu nome?

ZENDAYA: Há um vídeo meu que um amigo da família gravou enquanto eu estava esperando, e você pode ver minha perna tremendo. Na minha cabeça eu estava tipo, cara, apenas relaxe. O que será será. Lembro-me de respirar fundo, ouvir meu nome e então minha família gritar. Eu estava preocupado que se eles continuassem gritando por muito tempo, eu não teria tempo para realmente dizer nada – mas eu não queria impedi-los, porque eles estavam se divertindo muito. Foi uma noite muito especial. Eu definitivamente vou me lembrar disso para sempre.

Eu amo que você focou seu discurso em como há esperança nos jovens. Por que isso foi importante para você ser campeão durante o seu grande momento?

ZENDAYA: Parece que passou muito tempo, especialmente para os jovens negros, você nasceu em um sistema que não foi feito para você. Cabe a nós assumir a partir daqui e, com sorte, torná-lo melhor. Mas realmente não parece assim agora – e os responsáveis ​​não gostam de nos ouvir. Mas é importante confiar na esperança e nas coisas bonitas que vejo meus colegas fazendo, seja por meio de seu ativismo ou de sua arte. É extremamente inspirador para mim assistir e fazer parte. Eu queria falar sobre o poder disso e deixá-los saber, o que você está lutando significa algo, e você é apoiado e visto.

O significado de sua vitória pode ser facilmente visto nas reações em toda a Internet, especialmente na jovem Hollywood. Seus colegas, como seu colega de elenco de Euphoria, Storm Reid e o elenco de Insecure, compartilharam vídeos nas redes sociais deles gritando por causa de sua conquista. O que esse suporte significou para você?

ZENDAYA: Estou honrado em ter esse apoio, especialmente de meus colegas jovens criativos negros. Durante o período do Emmy, especialmente, senti um forte senso de apoio em nossa comunidade, pelo qual sou muito grata.

Você diria que o jovem Black Hollywood está dando continuidade ao tipo de camaradagem que vimos nas gerações anteriores?

ZENDAYA: Acho que o que está começando a acontecer lentamente é que artistas como Issa Rae e Lena Waithe criaram oportunidades que resultaram em mais de nós nessas salas. É um sentimento tão especial e acho que está definitivamente mudando a ideia de que só pode haver “um de cada vez”, o que é falso. Adoro ver esse amor e respeito genuínos pelo trabalho um do outro. Espero que continuemos a expandir isso de todas as maneiras bonitas, porque acho que estamos no caminho certo.

“Muito do que faço, especificamente dentro da moda, é uma homenagem aos ícones da moda que vieram antes de mim, muitos dos quais são mulheres negras.”

Todos vocês fazem o futuro de Hollywood parecer brilhante, e é por isso que adoro que sua capa feche o 50º aniversário de ESSENCE. Parece a passagem da tocha. O que esse momento significa para você?

ZENDAYA: Estou incrivelmente grata – porque sem as pessoas incríveis e icônicas que estavam na capa antes de mim, eu não estaria aqui, apoiado nos ombros de gigantes. Poder fazer essa capa neste momento é muito especial para mim. Eu também fiquei muito animado que ESSENCE permitiu que Law [Roach] e eu fizéssemos parte da equipe criativa e fizéssemos algo um pouco diferente. Eu me diverti muito nesta sessão em homenagem a Donyale Luna, a primeira supermodelo negra. Muito do que faço, especificamente dentro da moda, é uma homenagem aos ícones da moda que vieram antes de mim – muitos dos quais são mulheres negras. Eu amo o jeito que acabou. Estou muito orgulhoso disso. É uma das minhas fotos de capa favoritas que já fiz.

Quando penso no legado que você está criando, uma das primeiras coisas que vem à mente é a equipe de glamour totalmente negra que você mantém ao seu redor. Sua equipe cria este espaço para você na conversa de alta moda, da qual as mulheres negras nem sempre conseguem fazer parte. Quão intencional você é quando se trata de levantar pesos enquanto escala – e estar ciente do que você e Law Roach estão fazendo na moda?

ZENDAYA: Isso sempre foi importante para Law e para mim. O LAw me ensina muito sobre história da moda. É muito importante para nós apoiar jovens designers negros e fotógrafos negros, porque o apoio geralmente não existe para eles. Muitas marcas e designers menores foram os que me apoiaram antes de eu ser vestido por marcas maiores. Raramente há um look, ou qualquer coisa que fazemos na moda, que não tenha uma história. Tudo é feito com intenção.

Outro parceiro seu é o criador do Euphoria, Sam Levinson. Vocês dois foram os primeiros a encontrar uma maneira de se adaptar e fazer um filme, Malcolm & Marie, quando a pandemia fechou Hollywood. Como foi essa experiência e como ela o ajudou a lidar com a quarentena?

“É importante apoiar-se na esperança e nas coisas bonitas que vejo meus colegas fazendo, seja por meio de seu ativismo ou de sua arte”.

ZENDAYA: Foi um sonho, porque eu sempre quis ser capaz de simplesmente me livrar de tudo. Amo o que faço – e como a maioria das pessoas, estava encontrando maneiras de permanecer inspirado e criativo e, felizmente, conheço pessoas que são da mesma forma. Foi ótimo sentar em uma sala com John David Washington, Marcell Rév e Sam, literalmente escrevendo cenas à medida que avançávamos, tendo ideias à medida que avançávamos pelos personagens e encontrando coisas novas a cada dia. Essa foi a parte mais legal. É por isso que faço isso.

Fiquei muito animado – e talvez um pouco com ciúme – ao ver que John David Washington estava interpretando seu papel romântico. Vocês dois estão em lugares tão emocionantes em suas carreiras.

ZENDAYA: Tive a sorte de dividir o palco com John David Washington, que é brilhante. Ele é extremamente talentoso e uma grande força. Ser capaz de trabalhar com ele definitivamente me empurrou para ser melhor. Foi muito especial.

Você co-produziu Malcolm & Marie [que foi adquirido pela Netflix no mês passado] e juntou forças com Reese Witherspoon para produzir A White Lie, que você também vai estrelar. Você planeja se envolver mais nos bastidores?

ZENDAYA: Adoro poder criar o que quero ver feito. Também estou muito interessado em cinema. Talvez eu me torne um diretor ou diretor de fotografia. Estou realmente absorvendo todo esse conhecimento e aprendendo o máximo que posso. Eu realmente amo a arte de fazer filme.

Eu descobri que você e Levinson também estão filmando algo para os fãs do Euphoria. [Até o momento, a HBO anunciou que Euphoria retornará com dois episódios especiais e o primeiro vai ao ar em 6 de dezembro]

ZENDAYA: Sam e eu conversamos muito ao telefone e, durante uma dessas conversas, ele disse: “E se fizéssemos alguns episódios intermediários que pudéssemos colocar entre as temporadas, apenas para dar algo às pessoas?” Ele escreveu esses lindos episódios que, na verdade, resultaram de uma cena que ele escreveu para a segunda temporada pela qual eu estava obcecado. Então ele basicamente o transformou em um longo episódio. O método de contar histórias é muito diferente do da primeira temporada. Parece euforia, mas não se parece em nada com a euforia, de uma maneira bonita. E fala sobre coisas – especificamente sobre o personagem de Hunter Schafer, Jules – que eu acho que nunca foram exploradas antes. Você consegue se sentar com os personagens de uma maneira mais profunda. Eu estava tão animado para poder voltar, porque sinto falta de interpretar Rue. Ser capaz de voltar para seus Chucks definitivamente foi muito, muito especial para mim.

Estou fascinado por como a arte consegue prosperar nos momentos mais adversos. Estamos lidando com COVID, o movimento Black Lives Matter e muito mais, mas os contadores de histórias Negros ainda estão por aí, criando um trabalho bonito e cheio de nuances.

ZENDAYA: O nível de criatividade e engenhosidade, especialmente nesta época, é inspirador. Tudo o que enfrentamos agora, especificamente Black Lives Matter, é traumático. Estes são nossos irmãos e irmãs que estamos assistindo serem assassinados. Acho que superar isso de qualquer forma, e também nos permitir esse espaço para ter alegria, ter coisas bonitas, cuidar de nós mesmos, cuidar uns dos outros – é tão importante.

Também tem sido encorajador ver os negros vencerem em meio a um ano tão difícil, mas as mulheres negras, especialmente, tendem a carregar mais culpa sobre essa justaposição do que a maioria. Você já lidou com isso?

ZENDAYA: Com certeza. Eu entendo perfeitamente. Eu me senti estranho celebrando minha vitória no Emmy. E foi apenas alguns dias depois que ouvimos a decisão de Breonna Taylor, que foi devastadora. Também somos frequentemente aconselhados a não comemorar nossas vitórias. Eu vi muitos tweets e outras coisas pedindo que as mulheres negras sejam gentis com elas mesmas. Tenho tentado aprender mais sobre isso e como posso ajudar com isso, porque é realmente muito importante agora.

É tão complicado porque, embora você possa estar se sentindo culpado, também é verdade que sua vitória no Emmy nos deu uma sensação de alegria que senti que a comunidade precisava naquele momento. Foi bom ver que todos têm algo para comemorar na linha do tempo.

ZENDAYA: Sim. Quando eu estava em quarentena e Megan Thee Stallion lançou o “Savage Remix” com Beyoncé, nunca senti tanta alegria ao sair de uma música.

Ha! Eu ia perguntar a você o que está lhe trazendo alegria. Eu adoro o fato de “Savage Remix ” ser uma dessas coisas, porque, mesmo!

ZENDAYA: Ver mulheres negras vencerem, de qualquer forma, me dá alegria. Eu estava olhando para o desfile de moda Savage X Fenty de Rihanna e pensei: “É melhor você, garota! Bad-gal Riri está nos dando o que precisamos agora! ” Depois, há também pequenas coisas – como uma conversa com minha avó, a quem devo ligar depois disso porque sempre me esqueço. Ouvir sua voz é como alimento para a alma.

Já que esta é a questão de fim de ano, minha última pergunta para você é: Qual é o seu desejo de ano novo para as mulheres negras?

ZENDAYA: Para continuarmos a compreender totalmente nosso poder e aproveitá-lo para fazer grandes coisas, porque somos incrivelmente poderosos. Muitas vezes estamos convencidos de que não estamos e somos ensinados a encolher, mas temos que acreditar em nosso poder coletivo. Eu sempre penso naquela música de Beyoncé, “Eles nunca vão tirar meu poder, meu poder, meu poder.” Vamos levar essa energia para o novo ano.

 


Visualizado: 153 vezes | Autor: João Almeida
continue lendo
O Zendaya Brasil é um fã site com intuito de trazer informalções aos fãs brasileiros sobre a atriz e cantora Zendaya. NÃO temos nenhum tipo de contato com a cantora, sua família, amigos e etc. O ZBR não tem nenhuma intenção de lucro. Caso pegue alguma tradução ou notícia exclusiva e reproduza em seu site, nos dê os devidos créditos.

ZENDAYA BRASIL • Hospedado por Flaunt • Layout por Lannie D
parceiros